aspectos a considerar na aquisição de um kit

O lugar privilegiado para aqueles que optam usar óleo vegetal directamente nas viaturas.
Gearbest Banner




Autor do tópico
manuelcar
Staff Member
Staff Member
Mensagens: 2658
Registado: terça mai 09, 2006 3:46 pm
Estado: Desligado

aspectos a considerar na aquisição de um kit

Mensagem por manuelcar » quinta jun 21, 2007 9:49 am

trata-se aqui de tentar distinguir um kit suficiente e eficiente antes de gastar o dinheiro.
de acordo com a problemática identificada para a queima de ovd em motores diesel existem 2 níveis aos quais um kit tem que responder, a saber:
1.º - ao nível da circulação do ov desde o tanque até à bomba de injecção;
2.º - ao nível da injecção.
daqui decorre que um kit de 1 depósito deve, para responder eficazmente ao 1.º, aquecer rápida e eficazmente o óleo no interior, ou imediatamente antes do filtro. e deve manter a temperatura em níveis muito próximos dos 75 ºc durante o funcionamento do carro. isto não é muito problemático, a maior parte dos kits fazem-no desde que tenham aquecimento eléctrico ou hidráulico com apoio eléctrico.
já responder eficazmente ao 2.º problema é mais complexo. e ainda por cima é aqui que existe um problema maior uma vez que, se a resposta do kit não for eficiente a atomização do combustível será deficiente e a formação de resíduos de carbono irá agravando o problema até à destruição do motor. para resolver este problema existem duas abordagens fundamentais e diferentes no seu conceito: a abordagem elsbett que consiste na adaptação do motor ao combustível e outra que consiste na adaptação do combustível ao motor.
o elsbett modifica a taragem dos injectores e as características das velas de incandescência, substituindo-as por outras maiores, mais potentes e que ficam acesas por mais tempo. estas adaptações permitem ov100 durante a maior parte do ano.
a outra abordagem referida, e que foi aqui brilhantemente implementada por dois moderadores do fórum, o [***************] e o hynek, consiste num dispositivo de aquecimento dos tubos dos injectores para temperaturas acima dos 100 ºc, temperatura esta a que testes científicos comprovam ser a atomização do óleo vegetal idêntica ou muito próxima da do gasóleo. se adicionarmos os preconizados 2% de gasolina resolvemos ainda qualquer problema residual que se possa por no arranque de um motor com elevadas percentagens de ov. esta abordagem permite percentagens acima de 80.
resulta do acima exposto que, para subirmos acima dos 50% num kit de 1 depósito, temos que ter resolvidos, de forma eficaz e muito acelerada, os dois problemas descritos. alguns fabricantes querem fazer-nos acreditar que podemos ir a ov80 e mais sem resolver o problema da injecção, mas isso simplesmente é arriscado, com essa atitude estamos a reduzir a vida útil de um motor que foi fabricado para durar muitos milhares de km e que custou bem caro. naturalmente irão sempre aparecer pessoas dispostas a isso, mas se me dei ao trabalho de compilar esta informação foi para cada um poder julgar por si.
uma última palavra de aviso. alguns fabricantes, para resolver mais fácil e rapidamente o problema de fazer passar um óleo ainda frio, e por isso muito viscoso, através de um filtro que pode ter 1 mícron de malha, mudam o filtro por outro de malha mais larga e por vezes muito mais larga. importa estar também atento a isso, qualquer substituição do filtro ou adição de outro filtro, deve responder ás especificações definidas pelo fabricante da bomba de injecção e que correspondem ás do filtro que vem de fábrica sob pena de redução acentuada da vida útil da própria bomba e inevitáveis problemas de injecção que se irão degradando.
um kit de 2 depósitos parte de uma abordagem bastante diferente. como é realizada a comutação do combustível para ov quando o motor já está á temperatura de funcionamento o problema 2 não se põe desde que a injecção se faça da forma prevista num sistema bem afinado. esta abordagem requer mais componentes uma vez que se torna necessário realizar modificações no fornecimento de combustível antes do filtro e do permutador de calor e, muito provavelmente, requer também alterações no circuito de retorno no sentido de deixar o sistema lavado e pronto para o próximo arranque mais rapidamente do que o tempo necessário para queimar todo o excesso de óleo vegetal existente a jusante da electroválvula e que pode ser um bom bocado mais do meio litro. este sistema pode ser utilizado em qualquer motor de injecção de baixa pressão desde que não utilize bombas de injecção mais frágeis e também em todos os sistemas de injecção directa de alta pressão. o problema que se põe a estes últimos motores (common rail e unidades injector-bomba) é que são invenções muito recentes (ver excelente compilação do fry) e por isso ainda não foram objecto quer de estudos académicos, quer de extensa experimentação por parte da comunidade do ovd. é por esta razão que os moderadores deste fórum têm sido tão cautelosos com as recomendações relativas aos novos motores. no entanto o assunto não está esquecido nem deixará de ser objecto de uma abordagem futura. uma vez que estes novos sistemas de injecção têm todos gestão electrónica (digital seria uma expressão mais correcta) a optimização do consumo do ovd poderá ser realizada por edição dos parâmetros de gestão por parte da centralina, um procedimento já dominado por parte da comunidade do gpl. existem dados que sugerem que, pelo menos os motores pdi (sistema bomba-injector) podem funcionar dentro do esquema do kit de 1 depósito com a alteração referida e com as adaptações já descritas para estes kits.
estes novos motores, embora ainda não sejam tão fiáveis (depois eu conto-vos a anedota dos 3 engenheiros) são tremendamente interessantes e muito eficientes. analisam parâmetros tão diversos como a quantidade de ar admitido, temperatura do combustível, a rotação do motor, a exigência do condutor, e depois doseiam o combustível com até 5 injecções diferentes por ciclo realizadas a pressões próximas dos 2000 bares. se pudermos ter controle sobre estes parâmetros e sobre as decisões que a centralina toma com base neles, imaginem até onde poderíamos ir no ovd....
em conclusão, qual o kit e a percentagem que devemos escolher. quais os factores a considerar.
para responder a essa pergunta é necessário poder responder a algumas outras:
1.º qual a extensão dos percursos realizados? um condutor que sai de carro para parar na estação dos comboios mais próxima, digamos 5 km, e que depois faz apenas pequenas viagens de fim-de-semana tem dois obstáculos grandes. durante a semana o carro mal aquece, e não é durante os fins-de-semana, a menos que viaje bastante, que vai conseguir amortizar os valores necessários á aquisição e instalação de um kit. estes condutores devem ficar-se pelo ov30, que é de resto já um valor ambientalmente bastante amigável.
no caso de fazer viagens grandes aos fins-de-semana já pode ser interessante mandar instalar um aquecedor e alterar o retorno ficando assim o veículo apto para o ov50.
2.º qual o tipo de circuito realizado? em circuito urbano, embora o motor aqueça rapidamente, as baixas velocidades médias e os longos períodos ao ralenti não são muito saudáveis para um motor a gasóleo, quanto mais a ov. aqui o que sucede é que existe um maior perigo de contaminação do óleo lubrificante devido a uma queima menos completa, provocada por uma menor carga aplicada. também nestas circunstâncias é mais prudente ficar pelos valores acima preconizados.
circuitos de estrada com mais de 20 km, viagens frequentes na auto-estrada, muitos quilómetros todos os dias, não há que hesitar, um kit amortiza-se muito rapidamente.
mas não tenhamos ilusões, a agricultura, tal como é realizada hoje em dia, é uma das actividades mais poluentes realizada pelo homem, e a menos que se continue o abate das florestas húmidas sul-americanas e asiáticas será difícil substituir ainda que metade dos combustíveis fósseis que consumimos actualmente. isto não é sustentável e deixa-nos ainda um passo mais próximo da catástrofe. a utilização dos biocombustíveis é apenas um mero paliativo enquanto novas soluções técnicas não se desenvolvem e ficam mais acessíveis.
saúde da boa!


GoogleAds
Membro
Membro
Mensagens: 99999+
Registado: sabado jan 01, 2000 00:01 am
Estado:Ligado


Avatar do Utilizador

Fry
Staff Member
Staff Member
Mensagens: 2382
Registado: segunda mar 27, 2006 12:03 pm
Localização: Algures por aí...
Estado: Desligado

Mensagem por Fry » quinta jun 21, 2007 11:14 am

uma boa intervenção parabéns pela partilha.
Range Rover OVU30
Toyota Starvan C/KIT 2T OVU97
Sócio Nº 4


rinflix
Membro
Membro
Mensagens: 17
Registado: quarta mai 16, 2007 11:20 am
Estado: Desligado

Mensagem por rinflix » quinta jun 21, 2007 11:55 am

sou um leitor diário do forum, já o li quase todo, nunca me manifesto porque não tenho experiencia nenhuma, ainda não uso ov, porque ainda tenho dúvidas que ao longo dos dias aqui no fórum vou tirando.
estou a manifestar-me aqui hoje para dar os parabéns ao manuelcar pelo que escreveu hoje aqui no fórum. é deveras importante.
serviu-me para tirar a grande dúvida que eu tinha antes de pôr pela 1ª vez ov no meu carro. se montava o kit ou não.
porque como ando pouco durante a semana (os tais 5 km por dia, durante a semana), a amortização do kit era bastante longa.
agora pergunto eu!
para as pessoas como eu, que anda pouco por dia com o carro, é aconselhável o uso de ov sem nenhuma alteração, mesmo que seja só 30% de ov? o carro quase que não aquece durante a semana, à alguém aqui no forúm a andar assim tão pouco por dia?
pelo que li aqui escrito pelo o manuelcar, que concordo, não me é viável a mim instalar o kit. ia demorar anos a recuperar o investimento.
neste caso o que é que se faz?
é melhor não usar ov nenhum?



Autor do tópico
manuelcar
Staff Member
Staff Member
Mensagens: 2658
Registado: terça mai 09, 2006 3:46 pm
Estado: Desligado

Mensagem por manuelcar » quinta jun 21, 2007 5:22 pm

olá rinflix
põe as coisas desta maneira. o processo utilizado nas refinarias para remover parte importante do enxofre que o gasóleo contém, tem como consequência a redução das propriedades lubrificantes do gasóleo. não misturar nada não é uma grande opção. as alternativas são, óleo 2t, biodiesel e óleo vegetal directo, por ordem de propriedade lubrificante. um dos 3 deves pôr sempre ainda que em pequena quantidade.
na minha perspectiva, e de um ponto de vista ambiental, 10% de ov é sempre de usar, particularmente se for óleo reciclado.
Última edição por manuelcar em sexta jun 22, 2007 9:16 am, editado 1 vez no total.


Luís Costa
Membro
Membro
Mensagens: 22
Registado: terça mai 15, 2007 10:12 pm
Localização: Porto
Estado: Desligado

Mensagem por Luís Costa » quinta jun 21, 2007 11:09 pm

boas amigos do óleo.
vou entrar na etapa ov30 e este tópico veio mesmo a calhar.
parabéns e obrigado manuelcar.
Luís Costa


rinflix
Membro
Membro
Mensagens: 17
Registado: quarta mai 16, 2007 11:20 am
Estado: Desligado

Mensagem por rinflix » sexta jun 22, 2007 10:49 am

desde já obrigado pela resposta.
o que deve fazer na tua opinião, e pelo que tenho lido aqui no forum é:
89% de gasóleo
10% de ov ou oleo 2t
1% de gasolina
isto para quem não tem o kit, certo?
assim não há problema nenhum, mais do que 10% de ov é perigoso?


rinflix
Membro
Membro
Mensagens: 17
Registado: quarta mai 16, 2007 11:20 am
Estado: Desligado

Mensagem por rinflix » sexta jun 22, 2007 10:54 am

já agora se me puderes responder a uma dúvida.

para usar só esses 10 % de ov, preciso de fazer alguma coisa ao retordo do combustivel ao deposito????


Autor do tópico
manuelcar
Staff Member
Staff Member
Mensagens: 2658
Registado: terça mai 09, 2006 3:46 pm
Estado: Desligado

Mensagem por manuelcar » sexta jun 22, 2007 11:15 am

não! 10 % é uma percentagem segura nenhum dos efeitos adversos se verifica.


rinflix
Membro
Membro
Mensagens: 17
Registado: quarta mai 16, 2007 11:20 am
Estado: Desligado

Mensagem por rinflix » terça jun 26, 2007 10:30 am

gostava de saber se possivel:
para misturar o ov no diesel, pelo que li é só por o diesel primeiro e depois ov e ele fica misturado, é assim, se estiver errado por favor alguem me corriga?!
se por acaso o carro estiver parado algum tempo, como exemplo 1 a 2 semanas o ov separa-se do diesel??? como acontece quando se faz a lavagem do ov usado com agua.

Avatar do Utilizador

hynek
Staff Member
Staff Member
Mensagens: 2134
Registado: terça mai 16, 2006 4:16 pm
Localização: Viseu
Estado: Desligado

Mensagem por hynek » terça jun 26, 2007 10:55 am

rinflix Escreveu:gostava de saber se possivel:
para misturar o ov no diesel, pelo que li é só por o diesel primeiro e depois ov e ele fica misturado, é assim, se estiver errado por favor alguem me corriga?!
se por acaso o carro estiver parado algum tempo, como exemplo 1 a 2 semanas o ov separa-se do diesel??? como acontece quando se faz a lavagem do ov usado com agua.
sim, primeiro diesel, depois ov. a mistura não se separa.
Um abraço
Hynek
Associado n.º 8 da
Associação NovaEnergia.net


rinflix
Membro
Membro
Mensagens: 17
Registado: quarta mai 16, 2007 11:20 am
Estado: Desligado

Mensagem por rinflix » terça jun 26, 2007 11:12 am

obrigado pela resposta!
já agora. pelo que eu li o ov tem uma viscosidade 15 x mais do que o diesel.
comecei agora a usar 10% de ov, gostava de saber o seguinte:
a mistura de 10% de ov em relação à viscosidade aumenta para 1,5 x mais a viscosidade? é directamente porpocional?
a bomba injectora esforça-se mais 1,5 x?
pode-se dizer isto?

Avatar do Utilizador

hynek
Staff Member
Staff Member
Mensagens: 2134
Registado: terça mai 16, 2006 4:16 pm
Localização: Viseu
Estado: Desligado

Mensagem por hynek » terça jun 26, 2007 1:05 pm

a viscosidade do gasóleo varia com temperatura e a bi está preparada para isso. adição até uns 30 a 50% do ov, com temperaturas de ambiente de 15 a 20 ºc, não traz problemas a uma bi boa.

até onde podes ir, com segurança, depende do carro que tens.
Um abraço
Hynek
Associado n.º 8 da
Associação NovaEnergia.net


rinflix
Membro
Membro
Mensagens: 17
Registado: quarta mai 16, 2007 11:20 am
Estado: Desligado

Mensagem por rinflix » terça jun 26, 2007 1:46 pm

já agora não abusando muito da vossa sabedoria
tenho um mitsubishi space gear 2500 td intercooler 4x4 de 1998 de 99 cv e só tem 85.000 km.
que tem o mesmo motor da l400 ou l200 (strakar)
se me quiseres dar a tua opinião agradeço imenso.
como ando pouco o investimento no kit, não me é favorável.

Avatar do Utilizador

hynek
Staff Member
Staff Member
Mensagens: 2134
Registado: terça mai 16, 2006 4:16 pm
Localização: Viseu
Estado: Desligado

Mensagem por hynek » terça jun 26, 2007 3:54 pm

rinflix Escreveu:já agora não abusando muito da vossa sabedoria
tenho um mitsubishi space gear 2500 td intercooler 4x4 de 1998 de 99 cv e só tem 85.000 km.
que tem o mesmo motor da l400 ou l200 (strakar)
se me quiseres dar a tua opinião agradeço imenso.
como ando pouco o investimento no kit, não me é favorável.
coloca esta pergunta aqui:
http://www.novaenergia.net/forum/viewto ... 5610#25610
Um abraço
Hynek
Associado n.º 8 da
Associação NovaEnergia.net

Avatar do Utilizador

Camaleo
Membro Dedicado
Membro Dedicado
Mensagens: 53
Registado: quarta out 24, 2007 3:31 am
Estado: Desligado

Aquisição de um KIT

Mensagem por Camaleo » quinta nov 22, 2007 4:11 am

caros amigos, sou novato, e tenho lido tudo o que posso sobre ovd


peço desculpa, mas , a aquisição de kit's é ainda um pouco complicada, verdade?

assim como a montagem, para quem não domina a mecânica.

pelo que tenho lido, cada um vai montando o seu kit da melhor maneira... mas não é possível fazê-lo em oficinas já treinadas em ovd...

agradeço qualquer esclarecimento
obrigado

camaleo

Avatar do Utilizador

Fry
Staff Member
Staff Member
Mensagens: 2382
Registado: segunda mar 27, 2006 12:03 pm
Localização: Algures por aí...
Estado: Desligado

Mensagem por Fry » quinta nov 22, 2007 7:06 am

olá

já existem empresas para a montagem dos referidos kits. procura nos classificados.

abraço.

Avatar do Utilizador

hynek
Staff Member
Staff Member
Mensagens: 2134
Registado: terça mai 16, 2006 4:16 pm
Localização: Viseu
Estado: Desligado

Mensagem por hynek » quinta nov 22, 2007 10:06 am

Um abraço
Hynek
Associado n.º 8 da
Associação NovaEnergia.net


Amiga Anjo
Membro Silver
Membro Silver
Mensagens: 219
Registado: quarta jan 17, 2007 9:03 pm
Localização: Açores
Estado: Desligado

Re: aspectos a considerar na aquisição de um kit

Mensagem por Amiga Anjo » sábado jan 19, 2008 2:41 pm

boas tardes ninos (as)!
agora com a minha carrinha, quero aprender mais com vocês!
beijinhos a todos e bom sábado !


bfernandes
Membro
Membro
Mensagens: 18
Registado: quarta mai 07, 2008 10:00 am
Localização: Porto
Estado: Desligado

Re:

Mensagem por bfernandes » quinta jul 24, 2008 11:16 am

hynek Escreveu:
rinflix Escreveu:gostava de saber se possivel:
para misturar o ov no diesel, pelo que li é só por o diesel primeiro e depois ov e ele fica misturado, é assim, se estiver errado por favor alguem me corriga?!
se por acaso o carro estiver parado algum tempo, como exemplo 1 a 2 semanas o ov separa-se do diesel??? como acontece quando se faz a lavagem do ov usado com agua.
sim, primeiro diesel, depois ov. a mistura não se separa.
desculpem lá o "desenterranço", mas disseram-me que o ov usado fica por cima do gasóleo no depósito.
na prática o carro continua a gastar gasóleo enquanto houver e subitamente começa a beber só ov, o que me assusta um bocado por ser uma mudança radical, se efectivamente o ov não se misturar com o gasóleo.

é assim?

Avatar do Utilizador

orbis
Membro Platinium
Membro Platinium
Mensagens: 2872
Registado: quarta ago 02, 2006 11:10 pm
Localização: Baixo Mondego
Estado: Desligado

Re: aspectos a considerar na aquisição de um kit

Mensagem por orbis » quinta jul 24, 2008 11:22 am

não é assim. os dois combustíveis misturam muito bem. se o combustível estiver em repouso muito tempo, há uma tendência para o que se encontra na parte inferior do depósito ficar mais viscoso. mas num carro a andar normalmente isso nunca acontece.

Responder

Voltar para “Óleo Vegetal Directo”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 4 visitantes