Artigos relacionados com o ambiente

Para assuntos relacionados com o meio ambiente que não tenham nenhuma relação com energias.
Gearbest Banner



Responder
Avatar do Utilizador

Autor do tópico
mauri
Membro Platinium
Membro Platinium
Mensagens: 7877
Registado: sexta set 04, 2009 1:04 am
Localização: Amadora
Estado: Desligado

Re: Artigos relacionados com o ambiente

Mensagem por mauri » terça jul 10, 2012 7:28 pm

FAO alerta para sobreexploração de 30% dos stocks mundiais de peixe
10.07.2012

Cerca de 12% da população do planeta depende das pescas para sobreviver mas, neste momento, 30% dos stocks mundiais de peixe já estão sobreexplorados e 57% estão perto da sua capacidade máxima, revela a organização da ONU para a Alimentação e Agricultura (FAO).

Imagem
O sector das pescas é fonte de rendimento para 55 milhões de pessoas

“Numerosos stocks haliêuticos marinhos, controlados pela FAO, continuam sujeitos a fortes pressões”, releva o relatório A situação mundial das pescas e da aquacultura, 2012, divulgado nesta segunda-feira em Roma, sede daquela organização, durante a 30ª sessão do Comité de Pescas (de 9 a 13 de Julho).

De acordo com as estatísticas mais recentes, “cerca de 30% desses stocks estão sobre-explorados – uma ligeira diminuição em relação aos últimos dois anos –, 57% estão totalmente explorados (isto é, as capturas já atingiram ou estão a aproximar-se da capacidade máxima de produção) e apenas 13% não estão completamente explorados”, precisa a FAO.

O relatório indica também que o sector produziu um número recorde de 128 milhões de toneladas de peixe para consumo humano – com uma média de 18,4 quilos por pessoa –, garantindo a mais de 4,3 mil milhões de pessoas 15% das suas necessidades de proteínas animais. A FAO estima que, até 2021, a produção de pescado atinja 172 milhões de toneladas. A importância do sector é ainda demonstrada com um outro número: é a fonte de rendimento para 55 milhões de pessoas.

“As pescas e a aquacultura têm um papel vital na economia mundial, nacional e regional”, disse José Graziano da Silva, director-geral da FAO. “Os meios de subsistência de 12% da população mundial dependem, directa ou indirectamente, das pescas”, acrescentou.

Por isso, a FAO pede aos governos uma gestão mais sustentável dos recursos piscícolas, nomeadamente a concretização de planos de recuperação dos stocks sobre-explorados.

“A sobreexploração não causa apenas consequências ecológicas negativas, mas também reduz a produção de peixe, o que leva a consequências sociais e económicas negativas”, escrevem os autores do relatório.

http://ecosfera.publico.pt/noticia.aspx ... cosfera%29
Imagem
Associado 69Imagem
Antes de abrir um tópico utilize a Pesquisa
Prece
Imagem


GoogleAds
Membro
Membro
Mensagens: 99999+
Registado: sabado jan 01, 2000 00:01 am
Estado:Ligado


Avatar do Utilizador

Autor do tópico
mauri
Membro Platinium
Membro Platinium
Mensagens: 7877
Registado: sexta set 04, 2009 1:04 am
Localização: Amadora
Estado: Desligado

Re: Artigos relacionados com o ambiente

Mensagem por mauri » quarta jul 11, 2012 3:24 pm

Lobo-ibérico com pata amputada em armadilha ilegal foi devolvido à liberdade
10.07.2012

Num caso inédito de conservação em Portugal, um jovem lobo-ibérico ferido há dois meses numa armadilha ilegal foi devolvido à natureza, no concelho de Montalegre. A adaptação deste animal, com uma pata amputada, está a ser acompanhada graças a uma coleira GPS.

Imagem
Estima-se que existam em Portugal cerca de 300 lobos

Em Montalegre é bem conhecida a história do caso do lobo-ibérico (Canis lupus signatus), com um ano de idade, que esteve no Centro de Recuperação de Animais Selvagens (CRAS) da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) nos últimos dois meses.

Domingos Moura, veterinário municipal de Montalegre, cuidou do lobo durante as primeiras 24 horas, em finais de Abril. “Foi uma pessoa de uma aldeia que o encontrou num laço ilegal, e me avisou. Quando o levei para a clínica tinha 30 quilos, estava muito debilitado, desidratado e faminto”, contou ao PÚBLICO. A pata estava presa num cabo de aço e o animal “apresentava um traumatismo bastante severo”. “Matei-lhe a fome e a sede e depois o hospital veterinário da UTAD e o ICNB (Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade) vieram buscá-lo”.

O lobo-ibérico – de uma espécie protegida e que se estima estar reduzido a cerca de 300 animais e 60 alcateias – foi tratado com um contacto mínimo com as pessoas. Segundo disse à agência Lusa José Paulo Pires, director-adjunto do Departamento de Gestão de Áreas Classificadas – Norte, do ICNB, o lobo revelou ter tido uma boa recuperação clínica da lesão que sofreu, fez uma boa cicatrização, aumentou de peso, ganhou robustez e manteve a sua agilidade. “Concluiu-se que estaria em condições de sobreviver autonomamente e optou-se pela sua libertação”, salientou o responsável.

O animal foi restituído à natureza na quinta-feira passada, com uma coleira GPS. “Já é possível saber que ele andou alguns quilómetros, mas ainda não é muito significativo porque ele, neste momento, está numa fase de explorar e reconhecer o território”, salientou José Paulo Pires.

Francisco Álvares, investigador do CIBIO (Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos) e que estuda o lobo-ibérico desde 1994, considera que este caso pode trazer “informação valiosa”. Tudo porque, disse ao PÚBLICO, ao contrário do que é feito para as aves de rapina, por exemplo, este é o primeiro caso em Portugal de um “lobo capturado na natureza, tratado num hospital e depois devolvido à liberdade”. Mesmo a nível internacional são pouquíssimos os casos. “Podemos saber se estes animais conseguem adaptar-se e reintegrar-se nas alcateias”. O seguimento do lobo por GPS foi responsabilidade do ICNB mas agora tem a assessoria científica do CIBIO.

“A ideia é que se junte ao resto da alcateia. Ainda anteontem vimos alguns lobos, mas não sabemos se serão da mesma alcateia”, disse o veterinário Domingos Moura. “Contrariamente ao que acontecia há 30 ou 40 anos, a reacção das populações locais está a ser óptima”, considera. “Pensando que seria eu a restituir o animal à liberdade, diziam-me para eu fazer o que pudesse para ajudá-lo, para não olhar a meios. Só me pediam uma coisa: ‘quando o libertar, liberte-o longe dos meus rebanhos’”.

Esta mudança de mentalidades tem uma explicação, disse. “Quando havia muitos lobos, não haviam javalis nem raposas. Hoje, os lobos praticamente desapareceram", sendo mesmo uma espécie classificada como Em Perigo, pelo Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal. "Os agricultores queixam-se do aumento exponencial do número de javalis, que destroem os campos de milhos, os lameiros, tudo". E as raposas destroem as perdizes e os coelhos-bravos, “que quase não há nenhuns por aqui”. “Reconhecem que, afinal, o lobo lhes faz falta.”

As armadilhas ilegais, "normalmente direccionadas ao javali, são uma ameaça ao lobo e a toda a fauna selvagem", disse Francisco Álvares. Este é um problema "com uma incidência muito maior do que pensamos" e "demonstra a necessidade de uma fiscalização e controlo destes laços ilegais".

http://ecosfera.publico.pt/noticia.aspx ... cosfera%29
Imagem
Associado 69Imagem
Antes de abrir um tópico utilize a Pesquisa
Prece
Imagem

Avatar do Utilizador

Autor do tópico
mauri
Membro Platinium
Membro Platinium
Mensagens: 7877
Registado: sexta set 04, 2009 1:04 am
Localização: Amadora
Estado: Desligado

Re: Artigos relacionados com o ambiente

Mensagem por mauri » sexta jul 20, 2012 5:31 pm

Brasil: Chevron poderia ter evitado vazamento, diz relatório da ANP
Multa será calculada em 30 dias mas não passará de R$ 50 milhões.
Chevron não compreendeu a geologia local e não fez análise de risco.

19/07/2012

O acidente num poço de petróleo da empresa americana Chevron em Campo do Frade, na Bacia de Campos, em novembro de 2011, que resultou no vazamento de 3.700 barris de óleo poderia ter sido evitado se a Chevron tivesse conduzido suas operações com de acordo com a regulamentação da ANP e com seu próprio manual de procedimentos.

Imagem
Foto aérea da mancha de óleo no Campo de Frade
divulgada pela ANP


Essa foi a informação dada pela da diretora-geral da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, na tarde desta quinta-feira (19) ao apresentar o resumo do relatório das investigações da agência sobre o vazamento. Segundo Magda, a íntegra do relatório será divulgada no site da agência na sexta-feira (20).

Em nota, a Chevron informou no início da noite desta quinta que "a resposta da empresa ao incidente foi implementada seguindo a lei, os padrões da indústria e em tempo hábil. O plano de emergência da empresa foi executado conforme as leis e os padrões da indústria. O poço foi selado e abandonado com sucesso". A nota diz ainda que a Chevron trabalha com a ANP em relação a todas as questões referentes ao Campo Frade, incluindo o retorno à produção. Na avaliação da Chevron, o volume de óleo vazado é de 2.400 barris. Leia a íntegra da nota ao fim da reportagem.

Em 30 dias, segundo Magda, será divulgada a multa a ser aplicada à Chevron, que não passará de R$ 50 milhões, que é o limite para o caso. A diretora explicou que nesse prazo será estudada a dosimetria da multa, levando em conta situações como capacidade econômica da empresa, a gravidade do acidente, a reincidência. Como o vazamento ocorrido em março de 2012 ainda está sendo investigado, a empresa ainda não é considerada reincidente.

Vazamento de 3.700 barris
Segundo Magda, apesar de o poço estar selado, ainda vazam para o mar cerca de 20 litros por dia, de óleo que ficou retido em rachaduras e fissuras nas rochas. A ANP afirma, porém, que esse óleo faz parte do total de 3.700 barris que vazaram do poço.

De acordo com a agência, o vazamento da Chevron significou 96% do total dos vazamentos de óleo no Brasil no ano passado.

A diretora explicou ainda que estuda o pedido da Chevron para voltar a produzir no Campo de Frade, o que, segundo ela, não é inconveniente uma vez que foi a própria empresa que decidiu suspender a produção após um segundo vazamento em março de 2012, que ainda está sendo investigado pela ANP. Ela disse que no próximo dia 27 a ANP divulgará sua decisão. Magda, porém, deixou claro que a Chevron só poderá voltar a perfurar poços no Campo do Frade quando provar que pode evitar erros como o de novembro de 2011.
saiba mais

Chevron vai pedir a ANP para voltar a produzir petróleo no Campo de Frade
MPF denuncia Chevron, Transocean e 17 pessoas por vazamento no Rio
Após vazamento de óleo, Chevron suspende perfuração

Segundo o relatório da ANP, em relação ao acidente a Chevron não foi capaz de compreender a geologia local, apesar de ter 62 campos perfurados lá. Houve ainda uma estimativa incorreta da pressão no poço, criando condições para acidente.

A empresa não usou os resultados de testes de resistência em rocha em três poços perfurados anteriormente. Se tivesse usado esses dados, diz o relatório da ANP, o projeto onde houve o vazamento teria se mostrado inviável.

'Chevron levou 2 dias para perceber vazamento'
Segundo o relatório, se a Chevron tivesse estudado os dados de incerteza de pressão dos poços, o projeto teria que ser alterado. A Chevron não fez análise de risco contrariando a lei brasileira e sua própria gestão de risco.

Segundo o relatório, as tentativas da Chevron de controlar o vazamento usaram técnicas inadequadas.

“A Chevron levou dois dias para perceber o vazamento. As pressões anormais, a perda de circulação, e o fato de a Petrobras ter identificado uma mancha entre Campo do Frade e Roncador deveria ter levado a Chevron a perceber o vazamento”, disse Magda.

A diretora disse que não foi identificada qualquer falha da parte da Transocean, por isso, ela não é responsabilizada no evento.

A ANP levou oito meses para elaborar o relatório de 68 páginas. Segundo a diretora Magda, esses oito meses não foram dedicados apenas à investigação, mas à elaboração de todo um processo administrativo.

“Um processo administrativo é uma situação extensa, tem a investigação e o contraditório, com ampla defesa da Chevron”, explicou.

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noti ... a-anp.html
Imagem
Associado 69Imagem
Antes de abrir um tópico utilize a Pesquisa
Prece
Imagem

Avatar do Utilizador

BondadeSua
Membro Gold
Membro Gold
Mensagens: 1520
Registado: quinta mar 11, 2010 10:52 pm
Estado: Desligado

Re: Artigos relacionados com o ambiente

Mensagem por BondadeSua » quarta jul 25, 2012 12:41 pm

:mrgreen:
Transcrevo parte da noticia do público: http://publico.pt/Ci%C3%AAncias/imagens ... lo-1556245
Não sei se já foi cá referida(?)

"NASA
Superfície gelada da Gronelândia com níveis de degelo "extraordinários"

25.07.2012 - 08:26 Por Agências

A superfície da camada de gelo e neve que cobre a Gronelândia sofreu este mês derretimentos numa área particularmente grande da ilha, naquele que é um fenómeno já considerado pelos cientistas como “extraordinário”. A área onde se registaram derretimentos superficiais generalizados saltou de 40% para 97% em apenas quatro dias. "
...............
Para que cada um possa ajuizar dos nossos comportamentos. Sim porque nós também fazemos parte deste 3º calhau a contar do sol :(

BondadeSua
Não se nasce empreendedor. Aprende-se!!![/b]

Avatar do Utilizador

Autor do tópico
mauri
Membro Platinium
Membro Platinium
Mensagens: 7877
Registado: sexta set 04, 2009 1:04 am
Localização: Amadora
Estado: Desligado

Re: Artigos relacionados com o ambiente

Mensagem por mauri » quarta jul 25, 2012 3:15 pm

Ainda ninguém com conhecimentos técnicos ou cientificos se pronunciou. A notícia foi dada também pela TV.
Pessoalmente considero, espero estar redondamente enganado, ser uma das piores catástrofes da História. Além da subida das águas, não deve ser muita pouca, os efeitos climáticos tenderão a mudar-se drásticamente: 97% de degelo na calote polar é obra. Que originou? que consequências?
Imagem
Associado 69Imagem
Antes de abrir um tópico utilize a Pesquisa
Prece
Imagem

Avatar do Utilizador

BondadeSua
Membro Gold
Membro Gold
Mensagens: 1520
Registado: quinta mar 11, 2010 10:52 pm
Estado: Desligado

Re: Artigos relacionados com o ambiente

Mensagem por BondadeSua » quarta jul 25, 2012 3:29 pm

:mrgreen:
mauri Escreveu:Ainda ninguém com conhecimentos técnicos ou cientificos se pronunciou. A notícia foi dada também pela TV.
Pessoalmente considero, espero estar redondamente enganado, ser uma das piores catástrofes da História. Além da subida das águas, não deve ser muita pouca, os efeitos climáticos tenderão a mudar-se drásticamente: 97% de degelo na calote polar é obra. Que originou? que consequências?
Eu espero, que a noticia se refira apenas à camada superficial de gelo, que desaparece. Que mesmo nessa situação, já é grave o suficiente para nos preocupar! :evil:
Aguardemos...

BondadeSua
Não se nasce empreendedor. Aprende-se!!![/b]

Avatar do Utilizador

Autor do tópico
mauri
Membro Platinium
Membro Platinium
Mensagens: 7877
Registado: sexta set 04, 2009 1:04 am
Localização: Amadora
Estado: Desligado

Re: Artigos relacionados com o ambiente

Mensagem por mauri » sexta ago 24, 2012 8:25 pm

Seca: 58% do território do Continente em seca extrema em julho
24 de Agosto de 2012

Portugal continental estava no final de julho com 58% do território em seca extrema, 26% em severa, 15% em moderada e 1% em fraca, segundo o último relatório do ministério da Agricultura.

No nono relatório de acompanhamento dos impactos da seca, regista-se o aumento de 129% de importação de energia elétrica e as previsões de quebras significativas nas produções das culturas forrageiras, dos prados e das pastagens.

Datado de 14 de agosto, o documento reporta-se à situação de Portugal continental a 31 de julho, destacando o aumento dos incêndios florestais, «pese embora que a sua ocorrência não se deva, somente, à seca».

http://dinheirodigital.sapo.pt/news.asp ... ews=185814
Imagem
Associado 69Imagem
Antes de abrir um tópico utilize a Pesquisa
Prece
Imagem

Responder

Voltar para “Ambiente”

Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante